__________ Itapema, suas histórias... __________

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

RIO ACARAÚ DE ITAPEMA

O RIO ACARAÚ EM ITAPEMA/SP [2018].

Curso d'água natural (parcialmente canalizado), destacamos o Rio Acaraú (Acarahy), cujo nome deriva da língua Tupi-guarani.  Há duas hipóteses sobre seu significado. Conforme Paulinho Nogueira, seria a fusão de "Acará" (garça) e "hu" (água), portanto "Rio das Garças". No entanto, Silveira Bueno e Navarro traduzem "Acará" como "cará" ou "cascudo" (o peixe) e "u" ou "y" como água ou rio, designado assim "Rio do Cará". Mais conhecido entre nós como "Rio das Garças", devido ao número considerável dessas aves em suas margens.
Desde o  século XVI, a história do Rio está particularmente ligada às glebas do entorno, na atualidade fazendo limites com os bairros Parque Estuário, Jardim Progresso, Pae-Cará, Vila Áurea, Monteiro da Cruz e Jardim Boa Esperança. Tendo aproximadamente 2 Km de extensão, o Rio Acaraú, na verdade, é um braço-de-mar (gamboa) de água salobra com fluxo e refluxo decorrente das marés, mais a água das chuvas, confluente ao estuário do Porto.
Noutros tempos, este rio itapemense era navegável. Servia ao transporte em chatas da produção bananeira tanto da BanÁurea e doutros sítios das imediações. Bananas soltas dos cachos eram atiradas aos garotos nadando nas margens, pelos condutores dos barcos. Ali perto havia a porteira principal do bananal do Sítio Áurea G. Conde.
TRANSPORTE DE BANANAS PELO RIO ACARAÚ NOUTROS TEMPOS - ITAPEMA/SP.

Nesses idos, recorda Newton Rafael Gonçalves (antigo caiçara itapemense), o quanto vicejava a natureza nesta área:
"(...)Já próximo as festas das bandeiras (dia de São João) toda caiçarada antiga do Sítio [Conceiçãozinha] saía com meu pai em uma canoa e armados de espingarda, cachorros e junto com outros caiçaras do Sítio nós atravessávamos todos os bananais pelo canal [Rio Acarahy] ainda navegável. No caminho por vezes encontrávamos as barcaças carregadas a transportar bananas do Sítio Áurea Conde, e mesmo dos Sítios Conceiçãozinha, da Fazenda do Adriano Dias, que trafegando no rio realizava o transporte... "(...)Então, nós saíamos do Sítio Conceiçãozinha caçando assim, atravessando a Gamboa do Juca Soares (ainda lá em Conceiçãozinha), seguíamos pela Gamboa na Fazenda Adriano Dias, inté a lagoa do Rio Acaraú, pelas fazendas da Áurea Conde. Onde de canoa a gente navegando caçávamos grandes capivaras, porcos do mato, pacas, veados, cotias, patos selvagens, e também pescar traírão. Inté enormes jacarés-do-papo-amarelo..." - Aguapés, taiobas, samambaiaçús, ramagens, touceiras de capins, pés de mamonas, vegetação de arbustos dominavam a paisagem do Rio. Haviam os brejos repletos de taboas, peixe caboge, guarus, muitas rãs nos alagadiços.
TRECHO DO RIO ACARAÚ - LIMITES DOS BAIRROS PAE-CARÁ E VILA ÁUREA [ITAPEMA/SP] 2010.

Foi antigo acesso dos moradores para se locomoverem a outras localidades: Monte Cabrão, Ilha Diana, Bertioga e o Porto de Santos. As famílias usufruíam das riquezas naturais que dispunha o rio itapemense.
Tinha água muito limpa, pescava-se peixes diversos, traíras, amborés, corvinas, bagres, carás e siris. As crianças da época jogavam pedaços de pão pra verem os peixes subir à tona e comer. Podia-se apanhar caranguejos uçás no manguezal existente. Nas capoeiras próximas pegava-se coleirinhas e canários-da-terra. Espreitava à beira a jaguatirica.
PERCURSO DO RIO ACARAÚ EM ITAPEMA/SP.

Na margem do Rio Acaraú ficava o "Portinho" (próximo ao cemitério), pertencente ao Sr. Catrolo, onde se comercializava matéria-prima extraída do Saco da Embira e leitos do Rio Bertioga. Chatões carregados de areia desembarcavam ali.
PROXIMIDADES DO "PORTINHO DE AREIA" NO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [1976].
O RIO ACARAÚ CRUZA O DISTRITO ITAPEMENSE/SP.
TRAJETO DO RIO ACARAÚ - LIMITES DOS BAIRROS PARQUE ESTUÁRIO E JARDIM PROGRESSO [ITAPEMA/SP].

O Acaraú corta o espaço urbano do Distrito itapemense. Nele desembocam as águas pluviais dos canais de drenagem dos bairros. Encontra-se bastante degradado, seja em função do insensato projeto de canalização com a concretagem das margens, ou recebendo esgoto, lixo doméstico, contaminação por produtos químicos, obstruído pela vegetação invasora e sua calha assoreada.
IMAGEM DE SATÉLITE MOSTRA O TRAÇADO DO RIO ACARAÚ NO DISTRITO ITAPEMENSE/SP.
LEITO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP.
CANALIZAÇÃO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2019].

Contudo, a natureza demonstra tamanha resiliência ante a poluição. Ainda várias espécies subsistem das águas precárias do Rio Acaraú: biguás, socós, tapicurus, colhereiros, dentre outros, comumente vistos por todo leito.
GARÇA E BIGUÁ PESCAM NAS ÁGUAS DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2010].
UM COLHEREIRO ALIMENTA-SE NO LEITO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2018].
TAPICURUS NO LEITO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2019].

Notamos em especial as garças. Tanto da variedade branca (Egretta thula e Ardea alba), azul (Egretta caerulea), preta (Egretta gularis). Alimentando-se de vermes, pequenos crustáceos do lodo, anfíbios, mais peixinhos. É comum ouvir-se nas primeiras horas da manhã o gorjeio alto das garças ecoar por toda à margem.
Pertencentes a Família Ardeidae, de aves da Ordem Pelecaniformes, que inclui os socós e as garças. São aves elegantes, de pescoço e patas compridas, asas grandes. Seu bico é longo, reto e pontudo. Costumam ter penas brancas, pretas, cinzas ou marrons. Apresenta compridos egretes no período reprodutivo, sendo um feixe de plumas alongadas que enfeitam a cabeça de algumas garças na época do acasalamento, mais evidenciado nos machos. As espécies aqui recorrentes medem de 65 cm a 1, 10 m, pesando entre 59 g e 1, 5 Kg.
GARÇA (ARDEA ALBA) NO LEITO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2019].

Tem hábitos diurnos. Vive em grupos e migra em pequenas distâncias para dormir. A garça voa com a cabeça retraída junto ao corpo, o peito em quilha. Seguindo aos bandos frequentam rios, lagoas, charcos, praias marítimas ou manguezais de pouca salinidade. Consumindo, principalmente peixes, larvas, minúsculos animais aquáticos. Apreciam também sapos, caranguejos e pequenos répteis. A garça se alimenta enquanto está em água rasa, andando ou parada.
Associam-se em colônias formando ninhais com outras espécies. O casal constrói uma plataforma de galhos secos sobre uma árvore próximo à água, onde são postos de 3 a 7 ovos, com 2 ou 3 dias de intervalo. Estes ovos são incubados pelo casal de garças durante 25 a 26 dias, quando nascem os filhotes, que são nidícolas, os pais fornecem-lhes alimento regurgitado.
ANTIGO MEANDRO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP.

Da fauna restante o rio abriga alguns jacarés do papo-amarelo. Não é de hoje que a mídia noticia o aparecimento de jacarés no Rio Acaraú. Ao decorrer das décadas com a expansão da área urbana do Distrito há frequentes registros de avistamento dos répteis ao longo da antiga margem canalizada. Por vezes, em função do seu habitat restringido ou cheias após chuvas torrenciais, maré alta e à procura de alimentação, os jacarés exploram o meandro do rio que banha os bairros limítrofes. 
Trata-se da espécie Caiman latirostris ou como é conhecida no Brasil, "jacaré do papo-amarelo". Réptil carnívoro do grupo dos Crocodilianos.
O CAIMAN LATIROSTRIS (JACARÉ DO PAPO-AMARELO) NA MARGEM DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP.

Alimentam-se de peixes, crustáceos (siris, caranguejos, caramujos), aves (garças, biguás, patos) e pequenos mamíferos (capivaras). Levando em consideração o ambiente poluído dos nossos jacarés, é possível que incluam na sua dieta cadáveres de animais domésticos (gatos, cachorros), além do que é lançado ao Rio Acaraú pela população. No caso recorrente dos jacarés do papo-amarelo, o Acaraú faz parte do seu habitat natural, agora muito próximo de casas e avenidas.
Em Dezembro de 2007, assim como noutras ocorrências anteriores, um desses animais surgiu no trecho canalizado do Rio e foi capturado por um morador das imediações. Era um exemplar com cerca de 2 metros de comprimento, pesando 30 Kg.
Pela segunda vez, o estivador Anderson Ramirez Dias, de 32 anos foi responsável pela captura e guarda do espécime, até a chegada da Polícia Ambiental. No início de 2006, ele havia pego uma fêmea. O que já lhe rendeu na vizinhança o apelido de "Crocodilo Dundee", alusão ao caçador de crocodilos do cinema australiano.
A presença dos Caimans na região do Rio Acaraú é constante e fato conhecido da comunidade, apesar de serem vistos frequentemente no local os répteis nunca atacaram ninguém. A ignorância de alguns populares é que tem gerado a agressividade contra os jacarés.
O aparecimento dos jacarés do papo-amarelo no Acaraú sempre atrai a atenção de curiosos e rende reportagens nos noticiários da Tv. Já integrados ao imaginário itapemense, em eleições passadas do município houve candidato a Prefeito que utilizou o jacaré como mascote de campanha, daí podem os répteis se transformar numa atração turística de ITAPEMA/SP.
Outro fator que degrada o habitat das espécies animais do Rio Acaraú, ocorre da ocupação desordenada de residências à sua beira. Tais moradias alteram o meio-ambiente do rio. Modificam sua vegetação originária. Por despejar esgoto sanitário e descarte irresponsável de lixo. Atravancando ao longo do rio itapemense a continuidade da via expressa.
MORADIAS À BEIRA DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA SP [2010].
OCUPAÇÃO DA MARGEM DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP.
HABITAÇÕES À BEIRA DO RIO ACARAÚ  (PROBLEMA DE ORDEM SOCIAL E AMBIENTAL) - ITAPEMA/SP [2010].
RIO ACARAÚ - HABITAT POLUÍDO DO JACARÉ DO PAPO-AMARELO [ITAPEMA/SP] 2019.
VEGETAÇÃO SUBSISTENTE DO RIO ACARAÚ [ITAPEMA/SP] 2019.

O próprio processo de canalização não leva em consideração a natureza do rio. Ao urbanizar às suas beiras, seria sensato manter dentro do Rio Acaraú um ambiente propício para os animais. Como um viveiro a céu aberto, onde seria possível observar as espécies. Fazendo-se a poda consciente da vegetação, a retirar o excesso, recolhimento de resíduos, tanto mais eliminação da poluição doméstica. Oposto ao que tem feito o Poder Público (Prefeitura) retirando com retro-escavadeira além do lixo, a vegetação remanescente, substrato do leito do Rio, importantes para o seu ecossistema, pois oferece sombra, abrigo e nutrientes que permitem a vida no rio itapemense.
TRABALHOS DE CANALIZAÇÃO DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP.
MARGEM CONCRETADA DO RIO ACARAÚ - ITAPEMA/SP [2019].
O RIO ACARAÚ ATRAVESSA O ESPAÇO URBANO DE ITAPEMA/SP [2019]

Embora o Rio Acaraú siga resistindo contra o destino que lhe reserva a urbanidade. As espécies ali fadadas ao desparecimento, sendo esta uma consequência inevitável. Ignorado das grandes causas ecológicas, sem um programa de ações corretivas por parte da Secretaria do Meio-Ambiente, tende a transformar-se num rio morto. Um abjeto canal, desaguadouro das chuvas e imundícies do Distrito.  
  

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Reminiscentes Rocks'n'Rolls no 'SKINA'

A LANCHONETE 'SKINA' FOI POINT DOS "MALUCOS" ITAPEMENSES.

Em noites de estio eles passeiam nos terrenos fronteiriços ao estreito. Clara e morna, os rastros da lua, mais as luzes do Porto cintilam na ardentia do estuário ao constante marulhar da maré.
Entre as folhagens da restinga remanescente gravita o riso pueril. Conversas que se sucedem soltas na névoa quimérica, carregadas de incensa cannabis subindo às constelações. Arrotos de Coca-Cola, pedaços de "margherita", retângulos de chocolate...
"...Até quando esperar
A plebe ajoelhar
Esperando a ajuda do divino Deus." - Entoavam alto na escuridão. Inocente transgressão juvenil à margem esquerda.
Notívagos, alucinados de sonhos, admiram a esquisitice dos morcegos, a auto-suficiência dos pirilampos... Nada são do que pensam ser, de certo somente incertezas.
Tendo como cenário noturno o píer abandonado da Wilson Sons. Fosse a "enseadinha" do Farol de Itapema. Entocados  no "Canto da Coruja". Ou debaixo da Torre de Alta Tensão encravada na "Prainha"... Sair de pinote sobre os trilhos da Ferrovia por causa do "corta barato" dos "tiras".
"...O meu primo Zé
Queria ser como ele é
O orgulho da família
O predileto da mamãe..." - Bem que poderia ser a trilha sonora daqueles momentos.

Pelos descaminhos da suburbana interzone trilham errantes, misturados à realidade turva. A Av. Thiago Ferreira iridescente nas luminárias dos postes elétricos. A cor neon que lampeja intermitente duma fachada, seu coração transplantado no L( )VE anúncio do motel.
- É uma piada... Vocês não entenderam? O amor brinca de esconder. - Arrisca um deles, intentando uma possível lucidez. Enquanto logo ali tangem violões reminiscentes rocks'n'rolls...
"...Who knows where the cold wind blows,
I ask my friends, but, nobody knows.
Who am I to belevie in love,
Oh, love ain't no stranger..." - Malucos e minas, caretas e patricinhas, espalhados pela Praça do Poeta Vicente de Carvalho, defronte ao Bar 'Skina lanches'.
"...Cry out legions of the brave
Time again to save us from the jackals of the street
Ride out, protectors of the realm
Captain's at the helm, sail across the sea of lights..." - Cantam embriagados assim trepados nas jardineiras.
E antes que rompa a madrugada ainda escuta-se...
"...I can't believe the news today
I can't close my eyes, make them go away
How long?
How long must we sing this song?
How long
How long?
Tonight we can be as one
Tonight..."
Passada a euforia hão de tomar juízo. Há um caminho a seguir nada além dos limites.
Será certo a alegoria de que "ninguém é uma ilha" em si mesmo, ou está encerrado nela?

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

O Etílico Hábil DR. FERNET

DR. FERNET VIVE NA MEMÓRIA DOS SEUS EX-PACIENTES ITAPEMENSES.

A placa na porta de entrada indicava a especialidade: Cirurgião-Dentista. Todavia, seu nome por extenso em letras garrafais poucos lembravam. Ficou conhecido mesmo como Dr. Fernet. Atendia num consultório da Av. Thiago Ferreira, no centro do saudoso Itapema, pelos idos anos de 1970 e 80. Um dos pioneiros nesta prática da clínica dentária aqui no Distrito.
Suspensa num canto uma moça sorria-lhe, dentes branquíssimos à mostra, numa propaganda de laboratório. O diploma ostentado na parede da aflita sala de espera atestava a sua competência. A distinção do sobrenome Fernet se dera não por alguma descendência estrangeira do Doutor, sobretudo a um certo uso de alcóol, não aquele de 90° para assepsia, mas a uma popular bebida chamada Fernet, a qual o Dentista muito apreciava. Daí que caiu na boca do povo.
Seu diagnóstico não raramente sumário, verificando com uma careta desaprovadora o espelho bucal. Extração definitiva. Embora o dente estivesse apenas cariado, até passível de restauração no entender leigo do paciente.
- ...Você não vai poder pagar a obturação mesmo. Vamos arrancar isso fora! - Ultimava o Dr. Fernet. E dada as condições financeiras de alguns itapemenses era escolher a amarga decisão, ficar banguela ou a desesperadora dor de dente. Ao que sucumbia um pré-molar mal escovado, senão um destoante canino.
Um dentuço que descuidara da escovação chegou lá, não havia cimento dentário capaz de cobrir a dentina corroída. Tanto que o Doutor foi incisivo.
Caso tivesse dinheiro, dentadura ou "ponte", com ganchos pelo "céu da boca" poderia ser providenciado. Pois sabia quando possível restituir a artificialidade de um sorriso.
- Doutor, acho que ainda não sinto a anestesia. - Queixava-se uma paciente, iniciado os procedimentos.
É psicológico... Já, já faz efeito. Arranco que você nem percebe. - Respondeu o experiente Fernet.

Podia-se encontrá-lo além do consultório, por volta da hora do almoço, pelo centro comercial de Itapema no seu traje imaculado, tomando o aperitivo "rabo de galo", numa das mesas dos bares enquanto aguardava a refeição. Espairecendo à tarde nos balcões das padarias, depois de um dente difícil, com um cálice de Fernet.
Se alguém tinha algo a criticar, tratava-se de uma bebida etílica (obviamente), de origem italiana, um tanto amargosa, obtida através da maceração no alcóol de diversas ervas, bem como raízes medicinais, entre estas o ruibarbo e a gentiana, a quina, alóes e o agárico. Usado como digestivo e salutar tônico... Quem poderia negar que houvesse medicina naquilo?
Muitos iam socorrer-se à clínica do Dr. Fernet. Tomados de coragem e temor pessoal. Após acomodar a vítima, devo dizer o paciente na sua cadeira de tortura, digo, de Dentista, dispondo ele de tratamento duvidosamente tranquilizador, porém dum sadismo meticuloso em manipular os instrumentos de odontologia... Aquele estalar das luvas de látex. O preparo da seringa de injeção, quando quebrava o pescoço do tubete contendo Cloridrato de Lidocaína, isso visto num reflexo duma campânula metálica, o esguicho lacrimoso da agulha hipodérmica... Surgia um homem de jaleco talhado e máscara branca, fazendo outro ajuste mecânico da cadeira. Era visível a tensa imobilidade do paciente. Estranhas hastes articuláveis logo acima da cabeça... Pedia então que abrisse a boca, pedido esse atendido com certa relutância. Entre os dedos emborrachados a seringa de anestesia à vista dos olhos incrédulos. Nisso acionava um sugador ruidoso, punha-se a direcionar um foco de luz ao fundo da goela. Certo de que o anestésico estancaria toda dor... Boticão em punho erguido, Dr. Fernet invadia boca adentro atrás do inútil cariado, agarravam rígidas tenazes reluzentes a extrair a raiz do problema.

Mas havia também, momentos infernais de ranger de dentes a fórceps. Dentes fiéis às mandíbulas de seus donos, insistiam em não se deixar arrancar. Numa luta renhida com o dente, quase montado no peito do paciente a extirpar o persistente molar maldito...
- Anh!... Anh!... Dou.. tor... - O indivíduo boquiaberto a deter o punho do Dentista.
- Calma!... Está saindo... - Testa transpirante atrás da máscara, o cheiro de éter e Fernet do ambiente assim misturados, indicava à pessoa que lançasse fora o sangue e a saliva dentro duma cuspideira. Ele a saborear o gosto da vitória.
Dentes do siso lhe tiravam o juízo. Desafiadores à habilidade do Doutor, por cerca de uma hora o embate se alongava em rounds anestésicos. Desistido de outras posições, de joelhos sobre a banqueta, o impaciente já gemendo ais de dor, mais o mal jeito que sentia na arcada dentária... Enfim, satisfazia-se ao exibir o seu troféu.
Foi escândalo. Certa paciente acusara-o de imperícia odontológica, bateu à porta da clínica, pois ficara um caco de dente preso durante a extração dentária dela. Insistindo que o Doutor retirasse. Dizia sentir quando passava a língua na gengiva.
- Não há nada aí... Se eu puxar com o meu boticão, a Dona fica sem a queixada!... E vê se sossega essa língua... - Talvez não conhecesse a fama dele. Arrancara nesses anos todos de ofício, mais dentes das pessoas de Itapema, do que ela tinha na boca.
Com efeito tornou-se um dos mais falados dentistas do centro comercial do Distrito. Dr. Fernet ainda hoje assombra os sonos temerosos de seus ex-pacientes itapemenses.
    

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Contatos Imediatos em ITAPEMA CITY

ITAPEMA CITY NA ROTA ALIENÍGENA.

Vinha eu cruzando a Praça 14-Bis quando topei com Acrísio, irmão gêmeo do Altério (antigo frequentador do Bar '&ociedade @lternativa'). Surpreendido o nome do tal travou na língua e pra resolver a questão tasquei um "ê aí, gente boa!", disfarçando o lapso.
Me abordou com uma insólita conversa de que havia sido abduzido por um extraterrestre. Disse que aconteceu numa madrugada no "Canto da Coruja" à beira da maré. E pretendia enviar seu relato há uma daquelas revistas de ufologia, as quais colecionava às dúzias, compradas num Sebo ali perto.
Desconfiei com quem estava tratando. Porque a diferença entre ambos era justamente o caso de um ser aluado, enquanto o segundo beberrão.
- Que experiência mística! Ajoelhei assim que a espaçonave se abriu. - Cenário cinematográfico de "Star Trek". Acrísio parecia reviver o momento rebobinado.
Amparei-me nos ombros do busto de Santos Dumont que nos fazia companhia durante a conversa, creio de ouvidos atentos... Daí concluí que talvez o ET fosse uma espécie de Hare Krishna. O que ele corrigiu arguindo serem antepassados da civilização Maia, do povo Asteca, dos egípcios, babilônios e fundadores da Atlântida (não a produtora de cinema).
Jurou que o alienígena o levara para que lhe apresentasse os hábitos usuais no planeta Terra. Cujo diálogo se deu de uma forma razoavelmente telepática...

"Será este um exemplar evoluído da raça humana?" - Pensaria o alien tão surpreso quanto eu.
- Putz, o ET de Varginha! - Foi sua exclamação tendo estabelecido o primeiro contato.
"Vim da Hologaláxia Virtuo. Habitante do planteta Kzwyrtjn." - Era um amontoado de sons, quer dizer, ondas cerebrais que depois ele entendeu significar isso aí.
- Ah, tá...! - Arriscando emendar algumas letras do abecedário de sinais para surdo-mudo.
"Onde estamos?" - Custou, mas aos poucos a dublagem ia se acertando.
- Brazil!... Itapema City. Fala meu dialeto? Mim brasileiro. Futebol... Samba! - Gesticulava Acrísio com o corpo todo.
"Realmente, estágio de evolução simiesco irracional."
Quis reagir ao insulto porém, um scanner fazia a varredura dos seus miolos. Temeu ser desintegrado. Distintos comandos, painéis luminosos, gráficos e sensores estavam à disposição.
"Vamos tirar material genético seu para pesquisa."
- Será que dá pra caprichar no meu clone. Pô... Sei lá, o formato do nariz, as orelhas. Já que vai copiar, faz o melhor.
"Que pobreza de espírito!" - Fiquei curioso se o ET já conhecia Alan Kardec.
Velozmente percorriam o globo. Aquilo era estranho para quem vivia à lesmocidade da luz. Acrísio explicava tudo. O alien embasbacado com o modo de vida terreno. Reparou que havia muitas diferenças.
"Qual a razão daquele humanóide comprar ali por certo preço, e vender acolá muito mais caro?
- Negócio... Costume humano.
"Comportamento virótico oportunista." - Inseriu no banco de dados.
- Pra aumentar o lucro. É o segredo do business!
"Hum, xpto...!" - E partiu no seu ovni largando-o no alto do  Morro de Itapema, aqui no Distrito.
Enquanto o Homem não evoluir nada de contato imediato.
    

domingo, 28 de julho de 2019

ITAPEMA PAULISTA


Na infância coisa que muito me marcou foram uns vizinhos do Pae-Cará, mistura de italianos e caiçaras da terra, remanescentes da Vila Bocaina, daquele antigo Itapema. A intimidade com as águas do estuário da Ilha. Certas artimanhas dos "mateiros" ao embrenhar-se pela Restinga itapemense. Extrair xaxim das matas pro cultivo de samambaias nativas, bromélias. Tirar varas dos tantos bambuzais... Os altos brados das discussões. O gosto pelo café. Seus retratos de família, poses orgulhosas nas paredes. Alguma habilidade distinta nas canchas de malha.
Quando se reuniam para folgar, encontro marcado ninguém faltava pois ali não era chalé de Arnesto. "Na Glória" daqueles domingos a cantoria rolava solta, acompanhada dum ilhéu violão, pandeiro e cavaco oriundos do Distrito...
"Se o senhor não tá lembrado
 Dá licença de contá..." - Irmãos, tios, primos, amigos chegados, entre batidas de "caipirinha" e douradas cervejas, todos entusiasmados com os sucessos do rádio.
De boca em boca eu já ouvia aquele zum-zum-zum. O típico sotaque do samba paulista em que evoluía o coro caipira nos versos de Adoniran Barbosa, seu dialeto particular...
"Que saudade da maloca
 Onde eu morava
 Tinha tudo que adifício não tem.."
O encanto que tinha o rosto afogueado duma linda sobrinha de traço europeu, "oiá azul frechante". Pra gosto seu fazia-se indiferente, não tinha zóio prum "Jeca" meio nordestino.
"De tanto levá frechada do teu olhar
 Meu peito até parece
 Sabe o quê..." - "Paper" bonito eles faziam decantando o pitoresco repertório dos "Demônios da Garoa".






Restam os ecos do outro lado da velha cerca de ripas, "dindonde" eu distraía meus pensamentos naquelas saudosas tardes dominicais...
"É tarde nóis já vai indo
 Com um lenço na molera
 Que o orváio vem caindo..." - Assistidos por um jabuti passeando pelo quintal. Fresca aragem da brisa vespertina a balançar a roseira. 
Me "adiscurpe" essa verdade, Seo Dotô. Tão bão quanto o iê-iê-iê! Alegria não "fartava", não.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Família MOCIDADE AMAZONENSE

G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' - "TODOS UNIDOS NUMA SÓ FAMÍLIA..." - [ITAPEMA/SP].

Foi no dia 25 de Dezembro, verão brasileiro de 1972, que seria fundado o G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE', cujo batismo na Avenida do Samba (Thiago Ferreira) deu-se com o Enredo 'AMAZONAS DAS PEDRAS VERDES' naquele inesquecível carnaval de 1973.
Tudo quando quatro jovens bambas do Itapema, Jodenir, Fuinha, Cidão e Leivinha combinaram criar uma Escola de Samba para desfilar no Carnaval da Ilha de Santo Amaro. Adotariam como símbolo o "índio guerreiro" (tocando tambor sob o esplendor do sol), as cores verde e branco do seu Estandarte.
Desde então, o G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' atraiu as paixões carnavalescas de muitos foliões do Distrito, figuras proeminentes da sociedade itapemense ou oriundos das cidades vizinhas. Mostrou-se uma Escola de samba no pé, guerreira, deslumbrante na apoteose da Passarela. Fosse pelo samba envolvente de seus ritmistas, a beleza do seu carnaval, aquela presença marcante na Avenida a retratar sua gente e o Brasil.
ANTIGOS INTEGRANTES DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE'. ENTRE ELES: SEO BRANCO, FUINHA, NINILDO E MARCELO ROCHA FERREIRA [ITAPEMA/SP].
GRUPO DE SAMBA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' - DJACA NO SURDO, TONINHO (CAVACO) E CARLINHOS CARMELO PANDEIRISTA, DENTRE OUTROS [ITAPEMA/SP] ANOS DE 1970.

Logo vieram os Títulos incontestáveis e a Consagração. Adquiriu real estirpe no Mundo do Samba, nobre discípula dos Festejos de Momo. Sem ser melhor, nem pior. Fazendo valer seu espírito carnavalesco, em ser reduto do samba, a afirmar a capacidade criadora e representativa na cultura brasileira, assim a "Feitiço da Ilha" conquistou seu altar no Panteão das Escolas de Samba.
Ao longo dos carnavais diversos foliões achegaram-se para os ensaios na "Praça da Alegria" (14-Bis), depois à Quadra (Rua Francisco Alves) querendo brincar o carnaval, se esbaldar no samba, donos de algum talento artístico, alguma destreza rítmica instrumental, que somente sabiam dançar, exibir a exuberância de suas formas corporais. O estivador, pedreiro, faxineiro, mecânico, comerciante, professor, advogado, funcionário público, o malandro, o rapaz, o garoto, dentre outros tipos. A dona-de-casa, costureira, empregada doméstica, cozinheira, manicure, cabeleireira, vendedora, secretária, professora, as senhorinhas, as moças, as meninas. Gente do povo que fizeram e fazem, pertencentes à Família MOCIDADE AMAZONENSE.

INTEGRANTES DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' NO CARNAVAL DE 1986. DENTRE ELES: BABÃO, NEI E NELSINHO FILHO [ITAPEMA/SP].
GRUPOS DE SAMBA FORMARAM-SE A PARTIR DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].O
INTEGRANTES DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' NO CARNAVAL DE 1994. ENTRES ESTES: MASSINHA E NELSINHO FILHO [ITAPEMA/SP].
PREPARANDO OS COUROS DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' PRO CARNAVAL. INTEGRANTES: NEI, CAIJÃO E SEO GORDURA [ITAPEMA/SP].
BALUARTES DA 'MOCIDADE AMAZONENSE': FUINHA (FUNDADOR), TAÍCO (COMPOSITOR), JODENIR (FUNDADOR) E SÉRGIO VITORIANO (PANDEIRISTA) NA ESQUINA DA RUA FRANCISCO ALVES [ITAPEMA/SP].
SANDRA DE OLIVEIRA, JACARÉ E AILTON LIMA SANTOS APRESENTAM O TROFÉU DE CAMPEÃ DO CARNAVAL SANTISTA - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [2009].  

Até 1980, a Escola de Samba 'MOCIDADE AMAZONENSE' ensaiou para o carnaval no Coreto da Praça 14-Bis (já dita "Praça da Alegria"), transferindo-se para a sua Quadra na Rua Francisco (Itapema) Alves, Bairro Vila Alice - a Sede do Samba. Endereço no Distrito de Vicente de Carvalho (também nomeado Itapema) - Litoral Paulista. Morada do "índio guerreiro" sob as asas do Dragão Alado da Ilha de Santo Amaro.
Podendo aconchegar melhor seus integrantes durante os ensaios, abrigá-los da chuva, a guarda dos instrumentos da Escola: surdos, tamborins, repiques, caixas, taróis, chocalhos, reco-recos, agogôs, cuícas, pratos. Tanto mais, proteger o precioso Estandarte "Verde e Branco".
Tais ensaios periódicos movimentam o bar e a cantina da Escola de Samba revertendo alguma renda, utilizada nos custos da entidade carnavalesca.
Nesses ensaios seus componentes preparam evoluções rítmicas da Bateria, a Ala de compositores aquece o canto, aprende-se o Samba-Enredo, experimentam coreografias, Mestre-Sala e Porta-Bandeira aprimoram sua dança, as fantasias para o carnaval daquele ano são apresentadas e informes são passados aos foliões sobre o Desfile.
BATERIA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' ARREPIA NO COURO DURANTE ENSAIO. ENTRE OS RITMISTAS, NELSINHO FILHO.
ENSAIO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' COM A PARTICIPAÇÃO DE DANDA, RAINHA LEZIR FERREIRA, PRINCESA JANAÍNA PAIVA, ZÉ HARMONIA E PASSISTAS AO SOM DA BATERIA ESTANDARTE DE OURO [ITAPEMA/SP].
MUITAS VEZES OS ENSAIOS NA QUADRA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' TRANSFORMAM-SE EM EVENTOS PREPARATIVOS PARA O CARNAVAL [ITAPEMA/SP].
SOB À BATUTA DO MESTRE SERGINHO, A BATERIA "FEITIÇO DA ILHA" FAZ SAMBAR A RAINHA LEZIR FERREIRA [ITAPEMA/SP].
A ALA DE COMPOSITORES ESQUENTA A 'MOCIDADE AMAZONENSE' DURANTE OS ENSAIOS. INTÉRPRETE JACARÉ [ITAPEMA/SP].
A PRINCESA JANAÍNA PAIVA ABRILHANTA A BATERIA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' SOB COMANDO DE MESTRE PEPEU [ITAPEMA/SP].
ALA DE PASSISTAS DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' DIZ NO PÉ DURANTE ENSAIO NO "TERREIRO SAGRADO" [ITAPEMA/SP].
EVENTO PREPARATIVO PARA O CARNAVAL NO PERÍODO DE ENSAIOS - QUADRA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
A BATERIA "FEITIÇO DA ILHA" PRESENTE EM EVENTO DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2015.
ALA DE PASSISTAS PRESTIGIA EVENTO NA QUADRA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
ANDINHO DA ALA MUSICAL NUMA SELFIE EM EVENTO DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].  
  
Semana antes ao início dos Festejos de Momo, o G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' costuma fazer ensaios a céu aberto desfilando pelas ruas e avenidas do Distrito itapemense. De modo a adaptar-se ao percurso, a duração, mais a resistência para o Desfile Oficial. Apresentando-se despojada, apenas o samba, à porta dos moradores de Itapema. Nisso arrasta os empolgados transeuntes de passagem, a lembrar os foliões de última hora que a "Feitiço da Ilha" apronta-se para adentrar a Passarela do Samba, neste próximo Carnaval.
G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' - A AVENIDA É O PALCO DO CARNAVAL [ITAPEMA/SP].
ENSAIO DA "FEITIÇO DA ILHA'' NA PASSARELA DO SAMBA MONTADA EM ITAPEMA/SP. PRESENTES MAIS O POVÃO, CLÁUDIO CUNHA E PAULÃO HARMONIA - CARNAVAL DE 2012.
ENSAIO NA RUA EM ITAPEMA/SP. MESTRE SERGINHO CONDUZ A BATERIA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [2013].
A BATERIA "FEITIÇO DA ILHA" SEGUE FIRME NO RITMO PELAS RUAS DE ITAPEMA/SP [2013].
G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' ENSAIO NA RUA É SAMBA NO PÉ. DILERMANDO DA CUÍCA NÃO PERDEU A OPORTUNIDADE [ITAPEMA/SP] 2013.
A GRACIOSA PASSISTA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' DESFILA PELAS RUAS DO DISTRITO ITAPEMENSE [2013].
ALA DE COMPOSITORES PRESENTE: ANDINHO, RICARDO (JACARÉ) REIS - ENSAIO NA RUA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2013.
A BATERIA "FEITIÇO DA ILHA" ESTANDARTE DE OURO DO CARNAVAL ENSAIA PELAS RUAS DO DISTRITO ITAPEMENSE [2013].
A FAMÍLIA 'MOCIDADE AMAZONENSE' UNIDA PARA O CARNAVAL [ITAPEMA/SP].  

Mas, se a avenida é o palco do carnaval, voltemos ao "terreiro sagrado" do pavilhão 'AMAZONENSE'.
A Quadra da "Verde e Branco", sediada em Itapema passou, com a obtenção do terreno, por várias  melhorias promovidas pelos seus membros da Diretoria, integrantes da Escola, a gente da Comunidade, movidos pela paixão devotada à 'MOCIDADE AMAZONENSE'.
Essas adequações do espaço físico da Quadra possibilitaram a promoção de eventos de qualidade, shows com grandes sambistas, colocando o G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' no circuito de apresentações dos artistas nacionais, a fortalecer suas raízes na comunidade do Samba. Aliado a isto, o vínculo a produção musical estimula o intercâmbio, a formação de instrumentistas, intérpretes e compositores locais, vindo a surgir por iniciativa grupos de pagode, samba-rock, partido-alto, choro.
A Quadra assim aproveitada mantém a Escola ativa durante o ano e permite obter verbas para as obrigações da 'MOCIDADE AMAZONENSE' enquanto agremiação e do próprio Carnaval. 
GRANDE SHOW DE SAMBA NA QUADRA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
O "TERREIRO SAGRADO" DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' RECEBE OS GRANDES NOMES DO SAMBA [ITAPEMASP].
DIVULGAÇÃO SHOW DE PAGODE QUADRA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
DIVULGAÇÃO DIA NACIONAL DO SAMBA QUADRA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
O PÚBLICO COMPARECE AOS SHOWS NO "TERREIRO SAGRADO" DO PAVILHÃO 'AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
DIVULGAÇÃO ESCOLHA DO SAMBA-ENREDO PARA O CARNAVAL - QUADRA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
  
Além de atrações especiais a Quadra da 'MOCIDADE AMAZONENSE' abriga outros eventos promovidos pela Diretoria, os quais colaboram para agregar seus integrantes na confraternização entre eles, afirmação de sua identidade sambista, troca de idéias, no convívio com as Escolas de Samba co-irmãs quando recebe visitas.
O calendário de eventos contempla feijoadas, churrascos, rodas-de-samba, datas comemorativas do Samba, aniversário da Escola, consciência negra e encontros das velhas-guardas, também servindo como preparativos ao Carnaval.
Ações  voltadas para a Comunidade são desenvolvidas num trabalho sócio-cultural de entretenimento e colaboração com as campanhas sociais. 
EVENTO SOCIAL QUADRA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' PRESENÇA DE SALÁRIO, CHIQUINHO, DONA LEDA, ALTHAYR DENTRE OUTROS [ITAPEMA/SP] 2012.
FUINHA (FUNDADOR) DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' NUM PAPO DESCONTRAÍDO NA QUADRA [ITAPEMA/SP] 2012.
XAXÁ LOPES, MELANCIA DURANTE EVENTO NA QUADRA DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.

ENCONTRO DA VELHA-GUARDA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' E BALUARTES DA 'LEANDRO DE ITAQUERA'. PRESENTES: SÉRGIO VITORIANO, TAÍCO,  FUINHA, AILTON SANTOS, DONA LEDA, JANAÍNA PAIVA, CARLINHOS AMARO [ITAPEMA/SP] 2012.
O PÚBLICO PRESTIGIA EVENTO NA QUADRA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012. 
SAMBA NA 'MOCIDADE AMAZONENSE' COM A VELHA-GUARDA. ENTRE OS BAMBAS: FUINHA (FUNDADOR), SALÁRIO, SÉRGIO VITORIANO E RICARDO REIS [ITAPEMA/SP].
AÇÃO SOCIAL DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' NO DIA DAS CRIANÇAS. DENTRE OS PARTICIPANTES DANDA, SANDRA DE OLIVEIRA, JORGE MATOS [ITAPEMA/SP].
SAMBA E FEIJOADA NA QUADRA DA "VERDE E BRANCO" DO BAIRRO VILA ALICE [ITAPEMA/SP] 2015.
A PRESENÇA DA FAMÍLIA 'MOCIDADE AMAZONENSE' EM EVENTO NA QUADRA [ITAPEMA/SP] 2015. 
UM DELICIOSO CAFÉ DA MANHÃ NA QUADRA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP]. 

Tantos anos de vida carnavalesca do G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE', homens e mulheres, uns ainda criança, trazidos pelos pais quando conheceram a Escola de Samba. Ou aqueles deslumbrados com a "Feitiço da Ilha" na Passarela do Carnaval, seja jovens, adultos e os mais velhos, continuadamente dedicam-se a 'MOCIDADE AMAZONENSE' reservando parte do tempo entre seus afazeres pessoais e profissionais para atender a Escola querida, sempre presentes a contar a história da "Verde e Branco" do Distrito. Ou gente que vem-e-vai em alas pelos enredos da "MOCIDADE AMAZONENSE', a revelar uma outra faceta de sua personalidade.
INTEGRANTES DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' NO CARNAVAL DE 2014. ENTRE ESTES: RENATO CÉSAR, WAGNER ALVES, CRISTINA, ZÉ HARMONIA, DANDA, CARLOS FERNANDES E PAULÃO [ITAPEMA/SP].
MULHERES GUERREIRAS DA 'MOCIDADE AMAZONENSE'. DENTRE ELAS: VÂNIA LUCAS E DONA LEDA [ITAPEMA/SP].
A ESTIMADA DONA NEUSA BALUARTE DA "VERDE E BRANCO" E CLÁUDIO LUÍS NO CARNAVAL DE 2012 [ITAPEMA/SP].
WALLACE ROCHA, SEO SALÁRIO - BALUARTE DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012. 
O "TAMBORIM DE OURO" DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
A EMPOLGAÇÃO DOS INTEGRANTES DA 'MOCIDADE AMAZONENSE'. ENTRE ESTES: DANDA, CARLINHOS AMARO, MESTRE SERGINHO [2013].
A RAPAZIADA DA HARMONIA DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE': RENATO CÉSAR, CHINA, MANECO, RAPHAEL, URBAIN, AILTON LIMA, ENTRE OUTROS [ITAPEMA/SP].  
RENATO CÉSAR E PAULÃO INTEGRANTES DA HARMONIA - ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE [ITAPEMA/SP].
CALDEIRA E CARLINHOS AMARO ENTRE A GENTE BAMBA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
A PRESIDENTE SANDRA DE OLIVEIRA SANTOS ACOMPANHADA DE LEZIR FERREIRA, JANAÍNA PAIVA E INTEGRANTES DA ALA DE PASSISTAS DA 'MOCIDADE AMAZONENSE'.
ANDERSON ATRAÇÃO E ANDINHO COM A RAPAZIADA DA ALA MUSICAL - ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMZONENSE' [CARNAVAL 2014].
AILTON SANTOS AO LADO DUMA QUERIDA BALUARTE DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
GERALDO INTEGRANTE DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
PARA GOSTAR DE SAMBA NÃO TEM IDADE. SABE BEM MESTRE PEPEU - ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
  
As crianças tem lugar no seio do G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE'. Muitas crescem em meio as alas da Escola, embaladas pelo batuque, tomando gosto do Samba, aprendendo as habilidades carnavalescas, depois então alçadas às posições de destaque da "Verde e Branco". Os mirins participam nas mais variadas alas e como figuras representativas da 'MOCIDADE AMAZONENSE', desfilando como ritmistas da bateria, passistas, rainha-mirim, mestre-sala e porta-bandeira. Sementes geminadas no "terreiro sagrado", destinadas a manter o som do tambor da "Feitiço da Ilha".
A ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' ENSINA OS PRIMEIROS PASSOS CARNAVALESCOS AOS SEUS INTEGRANTES MIRINS [ITAPEMA/SP] 2015.
ALA INFANTIL DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' NO CARNAVAL DE 1992.
JANAÍNA PAIVA NOS PRIMEIROS PASSOS NA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' - CARNAVAL 2011.
"É DE MENINO, QUE SE DÁ O ENSINO." - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A CRIANÇADA PRESENTE NO TEMA DO ENREDO DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
    
Atualmente, o cargo de presidência do G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' dá-se por indicação da Escola, podendo ser o mandato de um ano ou durar mais. Em geral, pessoas oriundas da Família 'AMAZONENSE', senão advindos da sociedade local. Escolhido o Presidente este nomeia sua Diretoria, mantendo ou alterando os membros, tanto como figuras representativas da Escola: Mestre de Bateria, Intérprete do Samba, Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Rainha de Bateria e Diretores de Alas.
Alguns Presidentes foram Campeões pela 'MOCIDADE AMAZONENSE', outros conduziram com honra a "Verde e Branco" do Distrito itapemense. Todos contribuíram para o engrandecimento da "Feitiço da Ilha". Houve até quem empenhasse a sua própria casa afim de bancar o Carnaval. Ou ainda, investisse suas economias pessoais para colocar a 'MOCIDADE AMAZONENSE' na Avenida. Dentre estes: Nato, José Soares, João Carlos (o Cal), Valter Cides Bispo dos Santos (Cidão), Benedito Martins das Neves (Benê da Rosalina), Didiu, Gentil da Silva Nunes, Willian Rocha, Nelson Alves Filho (Nelsinho Filho), Massinha, Adriano Dias dos Santos, Sandra de Oliveira Santos (primeira mulher à presidir a 'AMAZONENSE'), Jair (Babão) José.
PRESIDENTE JOÃO CARLOS - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [CARNAVAL 1992].
PRESIDENTE BENÊ DA ROSALINA - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
PRESIDENTE GENTIL DA SILVA NUNES - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
PRESIDENTE JAIR (BABÃO) JOSÉ - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [CARNAVAL 2016]. 

A figura feminina é presença marcante no G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE', atuando em vários setores da Escola. Isto está evidenciado na capacidade de suas Diretoras. Tradicionalmente com mães, tias e avós, as senhorinhas da Ala de Baianas. Todas aquelas, donas de talentos natos, que fazem o carnaval da 'MOCIDADE AMAZONENSE'.
Contudo, quando empresta a sua beleza e encantos como passistas, cabrochas, destaques de alegorias, destaques de chão, musas, princesas e rainhas.
A FIGURA FEMININA EMPRESTA BELEZA E ENCANTO À 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
O SAMBA NO PÉ DA PASSISTA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' - CARNAVAL 2009.
JANAÍNA PAIVA RECEPCIONA A RAINHA DO CARNAVAL 2011 - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
A FORMOSA PASSISTA DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
OS ENCANTOS FEMINIS EM DESTAQUE NA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
A GRACIOSIDADE DA JOVEM DESTAQUE DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
 A EXUBERANTE RAINHA DE BATERIA ARIELLEN DOMICIANO - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
TODO CARISMA DA RAINHA-MIRIM JANAÍNA PAIVA - ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' - CARNAVAL 2014.
A ENCANTADORA CIBELE MARIA DIAS DA SILVA - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].
A BELEZA DO DESTAQUE DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [CARNAVAL 2017].
BEM ACOMPANHADO DAS BELDADES PASSISTAS DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP].

Há um pessoal da Escola de Samba que não pode ficar esquecido em meio aos materiais de confecção do carnaval, contidos no Barracão. Isopores, espumas, plásticos, emborrachados, tecidos, madeirites, sarrafos, tintas, pincéis, acetatos, penas, plumas, papel-machê, colas, resinas, lantejoulas, purpurinas, brocados, vidrilhos, dentre inúmeras matérias-primas as quais manipuladas por artistas populares (costureiras, alfaiates, aderecistas, escultores, desenhistas, pintores, serralheiros, soldadores) criam a magia carnavalesca da 'MOCIDADE AMAZONENSE'. Surgindo na Passarela maravilhosas alegorias, fantasias e adereços fundamentais para se entender o tema do Enredo.
O PESSOAL DO BARRACÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' TRABALHA PRA APRONTAR O CARNAVAL [FEVEREIRO DE 2012].
PREPARO DE ALEGORIA NUM ANTIGO BARRACÃO DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [1993].
DETALHE ALEGORIA CABEÇA DO ÍNDIO - 'MOCIDADE AMAZONENSE' [2011].
DETALHE ALEGORIA SOBRE ENREDO INFANTIL - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
O PESSOAL DO BARRACÃO DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' AJEITA  O CARRO ALEGÓRICO PARA A AVENIDA [ITAPEMA/SP] 2012.
    
A Concentração (também chamada Armação), área onde se levanta a Escola, é o momento do "esquenta" a cargo da Ala de Compositores e Bateria, de modo a motivar os componentes. Entoa-se o Hino da 'MOCIDADE AMAZONENSE', daí o Presidente conclama a todos sambar com garra em sua mensagem. De fato todas as expectativas concentram-se ali até a arrancada para o desfile na Passarela do Samba. O carro Abre-Alas assoma a cabeceira da pista. Alas e Alegorias são organizadas conforme o Enredo, foliões ajeitam as fantasias, destaques aprumam costeiros e esplendores, outros vão posicionar-se nas Alegorias. Uma maneira de controlar a ansiedade é com fartos goles de cerveja ou pedir as bençãos para um Carnaval vencedor.
XAXÁ LOPES PRONTO NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 1981.
PASSISTAS DOS CARNAVAIS DE OUTRORA - CONCENTRAÇÃO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE'.
AILTON SANTOS HARMONIA COMANDA ALA - CONCENTRAÇÃO ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE'
UM SORVETE ANTES DO ESQUENTA NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [CARNAVAL 1992].
FAMÍLIAS ENCONTRAM-SE NA CONCENTRAÇÃO DA  ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [CARNAVAL 2012].
NA CONCENTRAÇÃO ENCONTRAMOS OS BAMBAS DA 'MOCIDADE AMAZONENSE'. ENTRE ELES: SEO SALÁRIO E XAXÁ LOPES [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
RICARDO (JACARÉ) REIS INTÉRPRETE DE SAMBA - G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
HARMONIZANDO COM UMA CERVEJA GELADA NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE'. WAGNER ALVES E CHINA [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A RAPAZIADA DA HARMONIA PRESENTE - CONCENTRAÇÃO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
JORGE MATOS, CLÁUDIO LUÍS E MESTRE SERGINHO - CONCENTRAÇÃO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
CLÁUDIO CUNHA BEM ACOMPANHADO NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.  
SORRISOS NÃO FALTAM NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A MULHERADA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' PRESENTE. HARMONIA SANDRA PEREIRA [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
TODA A ALEGRIA DA COMPONENTE DE ALA - CONCENTRAÇÃO 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
JOVENS PASSISTAS NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
PASSISTA PREPARANDO-SE PARA COLOCAR O SAMBA NO PÉ NA CONCENTRAÇÃO DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
AS BAIANAS AJEITAM AS FANTASIAS ENQUANTO ESPERAM NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A BAIANA DESCANSA ENQUANTO AGUARDA NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
URBAIN G. NUNES CONFERINDO O QUE A BAIANA TEM  DESFILANDO NA AVENIDA - CONCENTRAÇÃO 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
LINDAS BAIANAS NA CONCENTRAÇÃO DO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A TRADICIONAL BAIANA DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' - CONCENTRAÇÃO CARNAVAL 2012 [ITAPEMA/SP].
GRACIOSAS BAIANAS NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
"O QUE É QUE A BAIANA TEM? TEM GRAÇA COMO NINGUÉM..." - CONCENTRAÇÃO G.R.C.E.S. 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] 2012.
"O SAMBA PEDE PASSAGEM..." NA CONCENTRAÇÃO DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
A BATERIA "FEITIÇO DA ILHA" ESTANDARTE DE OURO DO CARNAVAL [ITAPEMA/SP] 2012.
A BOSSA DO TAMBORIM DA ESCOLA DE SAMBA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012.
SAMBA E SUOR NA BATUCADA DA 'MOCIDADE AMAZONENSE' [ITAPEMA/SP] CARNAVAL 2012. 

[Estandarte da "Feitiço da Ilha".]

A Escola de Samba 'MOCIDADE AMAZONENSE' (tal qual outras agremiações) nasceu da vontade popular de expressar-se culturalmente. Formada por cidadãos e cidadãs em interação com o seu meio social, fazendo a leitura imaginária dos fatos e lendas que compõe a história local, tanto quanto brasileira, ou constituída pelos povos do mundo. Ao juntar o conhecimento dos artistas populares com a identidade do Samba, como representação cultural de um lugar constituinte da sociedade. Sua importância reside em abrigar o desejo inato do ser humano de imprimir uma marca estética no meio que o cerca.