__________ Itapema, suas histórias... __________

segunda-feira, 7 de abril de 2014

ANIMAIS MARINHOS NO ESTUÁRIO DO PORTO

PESCADORES PUXAM REDE NO ESTUÁRIO DO PORTO PRÓXIMO A MARGEM ITAPEMENSE.

Em virtude ao acesso direto do Estuário do Porto com as águas do Oceano Atlântico, não é incomum o avistamento de animais marinhos que adentram sua extensão de 10 Km, muitas vezes surgindo nas proximidades da margem esquerda (ITAPEMA/SP).
[à esquerda entrada do Porto e região, século XVII]
Noutros tempos, preservadas suas características naturais (berçário de espécimes marinhas) era possível ver no Canal estuarino, botos Tucuxis (Sotalia guianensis) que acompanhavam a movimentação das Barcas do ITAPEMA/SP, além de tartarugas submergindo a flor d'água, cações (filhotes de Tubarão) no seu estágio de crescimento, ou ainda animais aquáticos de maior porte.
DETALHE DE MAPA REPRESENTANDO A BARRA GRANDE JUNTO A ILHA DE SANTO AMARO.
ENTRADA DA BARRA E EXTENSÃO DO ESTUÁRIO DO PORTO [LITORAL PAULISTA].
 
Vários relatos destas aparições foram registrados pela imprensa local ao decorrer das décadas, tendo gerado momentos inusitados, solidários e dramáticos:
BOTO TUCUXI (SOTALIA GUIANENSIS) ANTES COMUM NO CANAL DO ESTUÁRIO DO PORTO.








No dia 15 de Março de 1916, Baleia Cachalote (Physeter macrocephalus), medindo cerca de 20 metros (provida de dentes) apareceu morta em águas da Barra Grande. Examinada pelo Profº Von Iberg, Diretor do Museu Paulista, e impedido por falta de verba para proceder estudos do animal, devido ao intenso mau cheiro determinou que o cetáceo fosse arrastado pelo Rebocador 'Sul América' para o "Saco do Major", na Ilha de Santo Amaro.
Por três dias, em Setembro de 1937, outra baleia bordejou entre a Praia do Góes e a Ilha das Palmas, sendo registrada em notícia do jornal 'A Tribuna'.
No dia 27 de Julho de 1945, uma baleia de cerca de 16 metros de comprimento foi avistada em águas do Estuário, quase defronte ao Sítio 'Boa Esperança', de propriedade do Sr. Adriano Dias dos Santos. Arpoada por Manoel da Silva e João Alberto de Barros, trabalhadores agrícolas. Foi rebocada para próximo do ferry-boat onde ficou encalhada, suscitando a curiosidade de centenas de pessoas, até mesmo de São Paulo.
A presença destes cetáceos reforça ter havido na região concentração de baleias e abundância, pois a Ilha de Santo Amaro serviu a atividade pesqueira. Quando no século XVIII funcionou aqui a Armação de Baleias.
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E AS CORRENTES MARÍTIMAS DO SUL ACABAM POR TRAZER ANIMAIS MARINHOS ORIGINÁRIOS DA REGIÃO POLAR.

Outras espécies trazidas pelas correntes marítimas do Sul (Antártida) para o Litoral paulista, são encontradas debilitadas ou mesmo doentes em decorrência da poluição humana dos mares.
Em 07/Julho/1977, às 15:30 h, seria resgatada uma Foca, macho (com cerca de 1,80 m de comprimento, pesando aproximadamente 250 Kg) no Estuário do Porto, nas margens de ITAPEMA/SP. Capturada próximo ao Terminal de Conceiçãozinha por Mauro Gilbran Lima e colegas seus, foi avistada primeiro por funcionários da Indústria Dow Química. Mauro, estivador-bagrinho (21 anos), residente à Rua Santo Amaro Nº 17 - Sítio Conceiçãozinha, conta o ocorrido a reportagem do jornal 'Cidade de Santos':
CANAL DO PORTO MARGEM ESQUERDA - ÁREA DE CAPTURA DE ANIMAIS MARINHOS [ITAPEMA/SP].

"(...)Estava tomando um banho na praia, numa prainha que tem junto à Dow Química. Daí eu vi que todo mundo olhava para um negócio no mar, e fomos lá, eu e Tapió, cujo nome eu não sei direito, me parece que é Quininim. Apareceu uma embarcação de um rapaz, Antonio Henrique de Oliveira, meu conhecido, que emprestou o barco e fomos lá ver o bicho, que estava no mar. Daí chegamos lá, era uma foca. Pegamos um cabo e começamos a passar no pescoço dela, com cuidado para não arrebentar o cabo, que ela era muito forte. A foca não queria ir para a água, sempre subia para a terra, a gente tentava puxá-la pra água pensando que se fosse para a terra poderia vir a morrer, mas ela não queria. Daí trouxemos para a terra e ela ficou ali até o anoitecer..." - Transferida para o Aquário Municipal de Santos ficou em exposição num dos seus tanques, mas morreu após 4 meses por complicações veterinárias. 
 FOCA RESGATADA NAS MARGENS DO SÍTIO CONCEIÇÃOZINHA EM ITAPEMA/SP (1977).

No dia 19 de Janeiro de 2012, a Bocaina (margem itapemense) recebeu a visita de uma Foca Caranguejeira (Lobodon carcinophagus), nas imediações do campo do time de futebol amador E.C. 'Canto da Coruja'. Antes que se fizesse o seu resgate a foca lançou-se novamente no mar.
 A FOCA CARANGUEJEIRA (LOBODON CARCINOPHAGUS) DESCANSA NA MARGEM ITAPEMENSE (2012).

Tais aparições sempre despertam a curiosidade de moradores da região, bem como alertam as autoridades de Biologia Marinha para as ocorrências envolvendo esses animais, seja pelo manejo despendido para tratamento ou o desequilíbrio do meio-ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário