__________ Itapema, suas histórias... __________

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

ITINERÁRIO: ITAPEMA MACABRO

LINHA ESTAÇÃO DAS BARCAS - PARQUE ESTUÁRIO [ITAPEMA/SP] MARÇO DE 1963.

Quando o amor lhe apareceu, num Baile de Carnaval no "Cinema Grande" e que a moça residia numa das ruas do Parque Estuário, não parecia ser um entrave ao romance. Poderia visitá-la de bicicleta. Lonjuras não impediriam o cupido, batia pernas por tudo que é lugar pelo Itapema. Frequentava no "Fundão do Pae Cará", o Campo do E. C. Monteiro da Cruz desempenhando seu talento futebolístico.
Acontece que a beldade itapemense estudava Pedagogia, na vizinha cidade santense. Ocorria de acompanhá-la até em casa de ônibus, saindo do "Pontão das Barcas"... O namorico no banco do portão, ia esquentando o sereno e as horas passavam. Naqueles tempos retornava tarde da noite. Morando na Rua Itapema, no quarteirão do velho Forte, voltar de a pé em incertas noites chuvosas, desprotegido, era um bom chão a palmilhar.
Havia um ônibus que fazia a Linha Estação das Barcas - Parque Estuário, com Ponto Final ao lado do Cemitério da Consolação de Itapema. Os passageiros tomavam ali a Condução, alguns desciam em frente a Padaria 'Vera Cruz', na esquina onde ficava a Lavandeira, centro comercial do Distrito.
CENTRO COMERCIAL DE ITAPEMA 1973 - AV. THIAGO FERREIRA, DO OUTRO LADO A PADARIA 'VERA CRUZ'.

Itinerário do qual se contavam coisas sinistras, desde sua primeira viagem inaugural:
Era uma noite comum da semana. O ônibus havia parado no fim da Linha do Parque Estuário esperando para fazer a última viagem, por volta de meia-noite. Nesse horário bem difícil ter muitos passageiros, quando muito uns 5 notívagos... O Coletivo já tinha saído do Portal do "Sumitério", e de repente o Cobrador e o Motorista pelo retrovisor, se espantaram ao verem o ônibus lotar de um minuto para outro, num vivo burburinho de passageiros. Estranharam, mas seguiram mudos pela Av. Presidente Vargas, cortando o bairro. Ao chegar na Av. Thiago Ferreira deram fé que o ônibus encontrava-se vazio, sem que ninguém tivesse descido. E se repetiu viagens seguidas... Falam que o Motorista e o Cobrador pediram as contas da Viação.
SERIA FATO UM ÔNIBUS-FANTASMA NUM ITINERÁRIO DE ITAPEMA/SP?

Um Ponto Final ao lado do Cemitério, já é bastante sugestivo para qualquer imaginação desconfiada. Numa ocasião, estava aguardando o ônibus aparecer e escutou vozes, risos, do lado de dentro do Campo Santo. Por ventura, os espíritos riam dele? Após alguns instantes de receio subiu no muro para ver, se esqueletos confabulavam sobre os túmulos... Eram apenas três malandros mocozados entre as cruzes, que queimavam um "baseado".
Tendo essa estória na cabeça, o sujeito viera algumas vezes no ônibus quase vazio. Como único passageiro, além do Cobrador e o Motorista, de olho nas ruas obscuras do Parque Estuário. Mais nenhuma viv'alma. Ninguém ocupando os assentos... Na dúvida, procurava sentar sozinho, nos fundos do Coletivo. Iluminado por uma trêmula luz dumas lanternas cravadas na lataria. A fim de não ser surpreendido por alguma alma penada. Não hesitaria pular fora do Ônibus-Fantasma... Daí o namoro acabou. A moça faleceu, dum mal repentino.
IMEDIAÇÕES DA ANTIGA PARADA DE ÔNIBUS - LINHA ESTAÇÃO DAS BARCAS/ PARQUE ESTUÁRIO - ITAPEMA/SP. 
  
Porém não pense ser previsível assim...
Numa dessas, próximo a meia-noite, um Homem chegara apressado. O vento fez tocar as doze badaladas no sino da Capela Mortuária. Tinha fila pra tomar a última Condução. Lotação esgotada. Esse tal se espremeu num banco ao lado de um passageiro esquálido, trazendo uma mala enorme. Distraiu-se olhando aqui e acolá pela escuridão as varandinhas iluminadas dos chalés, os passageiros refletidos nos vidros das janelas, ao voltar o rosto para os corredor... Chegavam nas imediações da Praça 14-Bis, passado o comércio "7 Portas". Ninguém mais naquele ônibus.
- Motorista, pára!... O Sr. viu isso!?... E vocês, são gente ou mortos-vivos?
- Eu não tou dirigindo o ônibus, porra...
- Quero descer, pelo amor de Deus! - Saltou mais adiante, perplexo, na calçada da Joalheria 'Pêndula de São Jorge'.
Portanto, cuidado ao tomar o ônibus altas horas da noite. Especialmente, o "Expresso da Madrugada". Arrastando maníacos etílicos, seres fêmeos decadentes, os trapos dos fins de festas. Nunca te passou pela cabeça que fosse uma horda de Demônios... Há, Há, Há!!... Há, Há, Há!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário