__________ Itapema, suas histórias... __________

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Em Busca da Sociedade @lternativa ITAPEMA




Enquanto isso na night do '&ociedade @lternativa' aquele papo muito cabeça agita a roda. Regado a cerveja, cuba-libre, algumas batatas "Ruffles" trazidas pelos Bródis Pink e Floyd.
- Sejamos sinceros! A existência não consegue preencher este vazio que habita nossas almas... - Lembrava Ormeo a razão do papo inicial.
- Essa questão, meus amigos, não é somente existencial. É ambiental! Sem o Planeta quem somos nós? - Intrometeu-se uma das vozes.
- O caminho da transformação das consciências está na Arte. O verdadeiro Artista tem o poder de mobilizar corações e mentes. - Considerou um dito pretensioso intelectual, que aparecera aquela noite.
- Putz, tipo assim, meu... Tá sabendo? Paranóia total este mundo. Entraram numas... - Disse um dos Bródis, naquilo que petiscava na cumbuca alheia pra matar a larica.
Dir-se-ia que a Anarquia reinava ao alcance fortuito da vontade delirante... E quiçá no amanhã, quem sabe.
Eis que surge Tetê, a Xiita (cá prá nós apenas, hein!). Explosiva, ao companheiro sim permitia a Liberdade de chamar-lhe meigamente por "Tetêrrorista". 
Ícones de sua Revolta, Che, Lennon, espetados ao peito. E mais, a contradição da postura assumida, o símbolo da Paz pendente no pescoço. Adepta do Prozac, contudo espantava a deprê com doses generosas de guaraná e conhaque... 
Ouve daqui, escuta dali. Um comichão percorre-lhe a língua ferina. Ela, uma mulher de atitude.
- Camaradas! Um à parte... Peço a palavra. Vocês não estão sabendo avaliar o momento histórico. Que ainda é de luta. Se faz imperiosa uma ação efetiva contra o Imperialismo ianque... Essa globalização do consumismo! - O álcool inflamou-se nas idéias. Era saber fazer a hora, sem aguardar acontecer.
- Concordo, é preciso descer do muro... - Interveio alguém numa das mesas à direita.
- Quem não caiu do muro!... - Desferiu um gozador.
Neste campo minado das idéias, Tetê disparou:
- Abaixo a nova ordem, o negócio é desordem! O caos há de varrer a Humanidade do mapa. E com as ruínas reconstruir um Mundo novo... - Antes porém, era necessário bebemorar as núpcias do Levante filosófico. Ao que o enciclopédico bebum Altério agradeceu festivamente.
Tanto discutiram que chegou-se a algum consenso. Um Ato Público naquela madrugada mesmo, sob o Busto do Poeta-mór da cidade.
BUSTO DO POETA VICENTE DE CARVALHO [ITAPEMA/SP].

Saíram em marcha cambaleante, peito aberto bradando palavras de ordem. Violão plangente pela Avenida enluarada. A Vanguarda iluminando a noite com o intuito de um alvorecer promissor. Entre discursos e vômitos abundantes aos pés do fuste do Busto. 
No auge dionisíaco da festividade Tetê, a sempre imprevisível...
- Mil perdões, gente... Parto agora. A enxaqueca me ataca. Minha cabeça quer explodir. Sei que o proletariado espera a Revolução. Quanto a mim, careço urgente de uma aspirina... Fui! - E saiu de cena levando o sonho consigo.
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário