__________ Itapema, suas histórias... __________

domingo, 28 de julho de 2019

ITAPEMA PAULISTA


Na infância coisa que muito me marcou foram uns vizinhos do Pae-Cará, mistura de italianos e caiçaras da terra, remanescentes da Vila Bocaina, daquele antigo Itapema. A intimidade com as águas do estuário da Ilha. Certas artimanhas dos "mateiros" ao embrenhar-se pela Restinga itapemense. Extrair xaxim das matas pro cultivo de samambaias nativas, bromélias. Tirar varas dos tantos bambuzais... Os altos brados das discussões. O gosto pelo café. Seus retratos de família, poses orgulhosas nas paredes. Alguma habilidade distinta nas canchas de malha.
Quando se reuniam para folgar, encontro marcado ninguém faltava pois ali não era chalé de Arnesto. "Na Glória" daqueles domingos a cantoria rolava solta, acompanhada dum ilhéu violão, pandeiro e cavaco oriundos do Distrito...
"Se o senhor não tá lembrado
 Dá licença de contá..." - Irmãos, tios, primos, amigos chegados, entre batidas de "caipirinha" e douradas cervejas, todos entusiasmados com os sucessos do rádio.
De boca em boca eu já ouvia aquele zum-zum-zum. O típico sotaque do samba paulista em que evoluía o coro caipira nos versos de Adoniran Barbosa, seu dialeto particular...
"Que saudade da maloca
 Onde eu morava
 Tinha tudo que adifício não tem.."
O encanto que tinha o rosto afogueado duma linda sobrinha de traço europeu, "oiá azul frechante". Pra gosto seu fazia-se indiferente, não tinha zóio prum "Jeca" meio nordestino.
"De tanto levá frechada do teu olhar
 Meu peito até parece
 Sabe o quê..." - "Paper" bonito eles faziam decantando o pitoresco repertório dos "Demônios da Garoa".






Restam os ecos do outro lado da velha cerca de ripas, "dindonde" eu distraía meus pensamentos naquelas saudosas tardes dominicais...
"É tarde nóis já vai indo
 Com um lenço na molera
 Que o orváio vem caindo..." - Assistidos por um jabuti passeando pelo quintal. Fresca aragem da brisa vespertina a balançar a roseira. 
Me "adiscurpe" essa verdade, Seo Dotô. Tão bão quanto o iê-iê-iê! Alegria não "fartava", não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário