__________ Itapema, suas histórias... __________

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O CAIMAN LATIROSTRIS DO ITAPEMA

CAIMAN LATIROSTRIS, "JACARÉ DO PAPO-AMARELO ÀS MARGENS DO RIO ACARAÚ [ITAPEMA/SP].

Não é de hoje que a mídia noticia o aparecimento de jacarés no Rio Acaraú, em Itapema. Ao decorrer das décadas, com a expansão da área urbana do Distrito de Vicente de Carvalho, há frequentes registros do avistamento dos répteis ao longo da antiga margem canalizada.
Por vezes, em função do seu habitat restringido, ou cheias após chuvas torrenciais e à procura de alimentação, os jacarés exploram o meandro do rio que margeia os bairros de Parque Estuário, Jardim Progresso, alcançando o canal da Av. Antonio Freire e Av. Mario Daige nos bairros de Vila Áurea, Pae-Cará, Esplanada do Castelo e Jardim Boa Esperança.
 RIO ACARAÚ, "RIO DAS GARÇAS", QUE MARGEIA BAIRROS DO DISTRITO DE VICENTE DE CARVALHO - 2010 [ITAPEMA/SP].



Trata-se da espécie Caiman Latirostris ou como é conhecida no Brasil, "Jacaré do Papo-amarelo". Réptil carnívoro do grupo dos crocodilianos.
São animais típicos das florestas tropicais, onde se inclui a Mata Atlântica. Preferem regiões de baixada, junto a cursos d'água (brejos, mangues, lagoas, riachos e rios). Também podem viver na água salgada. Têm vida quase que exclusivamente aquática. Saem para caçar principalmente à noite, durante parte do dia formam grupos para tomar sol. Chegam a medir 4 metros de comprimento e pesar 70 kg, vivendo por até 50 anos.
 UM EXEMPLAR DE CAIMAN LATIROSTRIS, "JACARÉ DO PAPO-AMARELO", NO RIO ACARAÚ [ITAPEMA/SP].

Alimentam-se de peixes, crustáceos (siris, caranguejos, caramujos), aves (garças, biguás) e pequenos mamíferos. Levando em consideração o ambiente degradado dos nossos jacarés do Itapema, é possível que incluam na sua dieta cadáveres de animais (gatos, cachorros), além do que é lançado ao Rio Acaraú pela população.
A fêmea constrói o ninho próximo à água, com folhas mortas, gravetos e terra orgânica. Põe em média 25 ovos e sua incubação é de aproximados 90 dias.
EM ALGUNS BAIRROS DO DISTRITO O AVISTAMENTO SE DÁ QUANDO OS JACARÉS EXPLORAM AS MARGENS DO RIO ACARAÚ (2009).

No caso recorrente dos jacarés "do Papo-amarelo" no Distrito, o Rio Acaraú faz parte do seu habitat natural, agora muito próximo de casas e avenidas. O nome do  rio é derivado da língua Tupi significando "Rio das Garças", devido ao número considerável dessas aves nas margens do Acaraú.
TRECHO DO RIO ACARAÚ (HABITAT DO "JACARÉ DO PAPO-AMARELO") OCUPADO E DEGRADADO - 2010 [ITAPEMA/SP].

Em Dezembro de 2007, assim como noutras ocorrências anteriores, um desses animais surgiu na parte canalizada do rio e foi capturado por um morador das imediações. Era um exemplar com cerca de 2 metros de comprimento, pesando 30 Kg.
Pela segunda vez, o estivador Anderson Ramirez Dias, de 32 anos foi responsável pela captura e guarda do espécime, até a chegada da Polícia Ambiental. No início de 2006 ele havia pego uma fêmea. O que já lhe rendeu na vizinhança o apelido de "Crocodilo Dundee", alusão ao caçador de crocodilos, personagem do cinema australiano.
ANDERSON RAMIREZ DIAS, O "CROCODILO DUNDEE ITAPEMENSE", CIDADÃO COM CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA.

Na vida real, Anderson não fez diferente, segundo relato da irmã Luciana Ramirez Dias, ao jornal 'A TRIBUNA':
"Ele amarrou um arame com formato de um círculo na ponta de um bambu e insistiu até conseguir laçar o pescoço do bicho dentro do canal. Depois, só puxou."
  O CAIMAN LATIROSTRIS, "JACARÉ DO PAPO-AMARELO" CAPTURADO POR ANDERSON RAMIREZ DIAS - 2007 [ITAPEMA/SP].

A presença de jacarés "do Papo-amarelo" na região canalizada do Rio Acaraú é constante e fato conhecido da comunidade. Apesar de serem vistos frequentemente no local os répteis nunca atacaram ninguém. A ignorância de alguns populares é que tem gerado a agressividade contra os jacarés.
Na ocasião citada, "o pessoal estava atirando rojão no bicho, atacando pedras. O jacaré fugia por baixo d'água, mas eles seguiam pelas bolhas que ele fazia. Parecia assustado." - Descreve Luciana Ramirez Dias. Atitude que motivou o resgate por parte do "Crocodilo Dundee itapemense".
O CAIMAN LATIROSTRIS DO ITAPEMA NUMA EXPLORAÇÃO DOS MEANDROS DO RIO ACARAÚ [DISTRITO DE VICENTE DE CARVALHO/SP].

Enquanto indivíduos impiedosos maltratam os animais, mais adiante no trecho ainda nativo do Rio Acaraú (na parte de trás do Jardim Progresso) os moradores preservam uma área da vegetação de Restinga para observação dos jacarés, que ali vivem mais tranquilos.
A dona-de-casa Sônia Oliveira Miranda Almeida, de 37 anos, que visita os animais conta ao jornal 'A TRIBUNA', em Julho de 2010:
"Eu e meu marido somos acostumados a vir aqui há muitos anos... Esta semana mesmo cheguei a ver sete de uma vez, mas acho que o número passa de 15."

POR SER UM RÉPTIL, O "JACARÉ DO PAPO-AMARELO" AQUECE-SE AO SOL - RIO ACARAÚ [ITAPEMA/SP].

Valmir Moura Faustino, não se surpreende ao ver os jacarés. Morador da Favela do Caixão, nas proximidades do Cemitério Distrital de Vicente de Carvalho, ele mora em uma palafita que fica de costas para o outro lado do Rio Acaraú:
"Sou acostumado a ver esses jacarés por lá. Tem dias que eles vão todos para lá, ficam mais de 10, todos por lá."
OS MORADORES DO BAIRRO JD. PROGRESSO APOIAM INICIATIVAS DE PRESERVAÇÃO DO HABITAT NATURAL DOS JACARÉS DO ITAPEMA/SP.

Esta espécie está ameaçada de extinção. Sua diminuição na natureza deve-se sobretudo pela destruição do seu habitat e à poluição dos rios. Devido a drenagem de pântanos, aterro de alagados e derrubada de matas de Restinga.
O aparecimento dos jacarés "do Papo-amarelo", no Rio Acaraú (ITAPEMA/SP) sempre atrai a atenção de curiosos e rende reportagens nos noticiários da tv. Já integrados ao folclore itapemense, em eleições passadas do município houve candidato a prefeito que utilizou o jacaré como mascote da campanha, os répteis podem se transformar numa atração turística de Vicente de Carvalho.
Suscitando tanta simpatia, moradores e ongs têm se mobilizado para conscientizar as pessoas sobre a importância da proteção dos jacarés. Cabe a Secretaria Municipal do Meio-Ambiente maior fiscalização, recuperação das áreas degradadas e criação de projetos efetivos de preservação ambiental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário